AVALIAÇÃO DA DESCONTAMINAÇÃO FÚNGICA EM RAÇÃO HUMANA PELO TRATAMENTO POR RADIAÇÃO GAMA EM AMOSTRAS COLETADAS NA ZONA CEREALISTA DA CIDADE DE SÃO PAULO

Autores

  • Simone Aquino Programa de mestrado em gestão de saúde da Universidade Nove de Julho
  • Cirlene da Cunha Caldas Mestranda do Programa de Saúde Pública, na área de Epidemiologia da Faculdade de Saúde Pública da USP.
  • Camille de la Cruz Lui Supervisora dos Laboratórios de Saúde do campus Memorial da universidade Nove de Julho (UNINOVE) e docente do Curso de Graduação em Ciências Biológicas, ministrando a disciplina nas disciplinas de imunologia e microbiologia básica na UNINOVE.
  • Regina Hiroko Hassegawa Professora Doutora e coordenadora do curso de Farmácia da Universidade Nove de Julho- UNINOVE.

Palavras-chave:

fungos, leveduras, contaminação, cereais, ionização.

Resumo

Nos últimos anos a ração humana ganhou o mercado como um produto à base de cereais indicado para controle intestinal, redução de peso e consumo de dietas mais saudáveis, principalmente na população feminina. Entretanto, o produto não apresenta uma fórmula padronizada, sendo possível encontrá-lo como produto industrializado embalado ou vendido a granel em lojas do ramo, apresentando riscos de consumo pela presença de microrganismos contaminantes. O presente estudo teve como objetivo analisar a contaminação fúngica de 30 amostras comerciais e 30 amostras de produtos vendidos a granel coletadas na zona cerealista da cidade de São Paulo, bem como analisar os efeitos do tratamento por radiação gama na descontaminação dos produtos. As amostras foram fracionadas pelos grupos não irradiados e tratados com a dose de radiação gama de 5 e 10 kGy, com o emprego de uma fonte Cobalto 60 do irradiador multipropósito do Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares (IPEN-CNEN). O método de isolamento dos fungos foi realizado em diluição seriada pelo plaqueamento em superfície em ágar Sabouraud e incubação em temperatura de 25 ºC (±2), na Universidade Nove de Julho. Foi possível observar a elevada contaminação por diversos gêneros fúngicos, incluindo os potencialmente toxigênicos como Aspergillus spp. e Penicillium spp., porém, com predomínio da contaminação por leveduras em 70% das amostras embaladas e 100% das amostras vendidas a granel. A dose de 10 kGy foi efetiva na redução da micobiota em todas as amostras irradiadas.

EVALUATION OF FUNGAL DECONTAMINATION IN HUMAN RATION BY GAMMA RADIATION TREATMENT IN SAMPLES COLLECTED IN THE RETAIL SALE OF GRAINS IN SÃO PAULO CITY

In recent years, human ration gained market as a cereal based product indicated for bowel control, weight reduction and healthier diets, especially in the female population. However, the product does not have a standardized formula, and it can be encountered as an industrialized packaged product or sold in bulk in retail stores, presenting consumption risks by the presence of contaminating microorganisms. This study aimed to analyze the fungal contamination in 30 commercial samples and 30 samples of products sold in bulk, collected in retail sale of cereals area of São Paulo, and to examine the effects of treatment by gamma radiation in the decontamination of the products. The samples were fractionated by non-irradiated groups and treated with gamma radiation dose of 5 kGy and 10 kGy, with the use of a cobalt 60 source multipurpose irradiator of the Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares (IPEN-CNEN). The method of isolation of fungi was carried out in the serial dilution plating on Sabouraud agar surface and incubation temperature of 25 °C (± 2) at Universidade Nove de Julho. It was possible to observe the high contamination by various fungal genera, including potentially toxigenic ones as Aspergillus spp. and Penicillium spp., but with a prevalence of contamination by yeast in packed samples in 70% and 100% of the samples sold in bulk. The dose of 10 kGy was effective in reducing microbiota in all the irradiated samples.

 

Biografia do Autor

Simone Aquino, Programa de mestrado em gestão de saúde da Universidade Nove de Julho

Médica Veterinária Sanitarista formada pela UNESP-BOTUCATU. Especialista em Vigilância Sanitária de alimentos pela FSP-USP. Mestre e Doutora em ciências com ênfase em irradiação de fungos e micotoxinas em alimentos e plantas medicinais pelo IPEN-CNEN/ USP. Professora Doutora do curso de graduação de Farmácia e Bioquímica na disciplina de microbiologia e do Programa de Mestrado Profissional em Administração- Gestão em Sistemas de Saúde da Universidade Nove de Julho (UNINOVE). Editora Adjunta da Revista de Gestão em Sistemas de Saúde da UNINOVE.

Cirlene da Cunha Caldas, Mestranda do Programa de Saúde Pública, na área de Epidemiologia da Faculdade de Saúde Pública da USP.

Possui graduação em Ciências Biológicas pela Universidade Nove de Julho (2011). Concluiu Aprimoramento profissional pelo Instituto Adolfo Lutz em Micologia Médica (2014). Aluna de mestrado do Programa de Saúde Pública, na área de Epidemiologia da Faculdade de Saúde Pública da USP. Possui experiência na área de Microbiologia, com ênfase em Micologia, atuando nos seguintes temas: diagnóstico micológico; identificação fenotípica de leveduras e fungos filamentosos de interesse médico, veterinário e ambiental; identificação genotípica de espécies de leveduras e teste de susceptibilidade a antifúngicos.

Camille de la Cruz Lui, Supervisora dos Laboratórios de Saúde do campus Memorial da universidade Nove de Julho (UNINOVE) e docente do Curso de Graduação em Ciências Biológicas, ministrando a disciplina nas disciplinas de imunologia e microbiologia básica na UNINOVE.

Graduada em Ciências Biológicas pela Universidade Metodista de São Paulo (2006). Especialista em Microbiologia pela Faculdade Oswaldo Cruz (2010). Mestre em Gestão de Sistemas de Saúde pela Universidade Nove de Julho (2014). Foi docente do Curso Técnico em Análises Clínicas e Nutrição, ministrando aulas nas disciplinas de microbiologia básica, parasitologia e biossegurança (2013-2014). Atualmente é Supervisora dos Laboratórios de Saúde do campus Memorial e docente do Curso de Graduação em Ciências Biológicas, ministrando a disciplina nas disciplinas de imunologia e microbiologia básica na UNINOVE.

Regina Hiroko Hassegawa, Professora Doutora e coordenadora do curso de Farmácia da Universidade Nove de Julho- UNINOVE.

Possui graduação em Farmácia e Bioquímica pela Universidade Estadual de Londrina, mestrado em Microbiologia pela Universidade Federal de Viçosa e doutorado em Ciências (Microbiologia) pela Universidade de São Paulo. Atualmente é professora e coordenadora do curso de Farmácia da Universidade Nove de Julho- UNINOVE. Tem experiência na área de Alimentos, Microbiologia, com ênfase em Fungos e Micotoxinas.

Downloads

Publicado

2020-11-27

Como Citar

Aquino, S., Caldas, C. da C., Lui, C. de la C., & Hassegawa, R. H. (2020). AVALIAÇÃO DA DESCONTAMINAÇÃO FÚNGICA EM RAÇÃO HUMANA PELO TRATAMENTO POR RADIAÇÃO GAMA EM AMOSTRAS COLETADAS NA ZONA CEREALISTA DA CIDADE DE SÃO PAULO. SaBios-Revista De Saúde E Biologia, 15(3), 64–74. Recuperado de http://revista2.grupointegrado.br/revista/index.php/sabios/article/view/2236

Edição

Seção

Complete Papers