DESENVOLVIMENTO DE LINHAGEM SELVAGEM E TRANSFORMANTE DE Fusarium verticillioides ENDOFÍTICO APÓS COLONIZAÇÃO EM Zea mays L.

Lenita Zayatz, Ravely Casarotti Orlandelli, João Alencar Pamphile

Resumo


O gênero de fungos com maior ocorrência nas culturas de milho brasileiras é o Fusarium e a espécie predominante é a F. verticillioides, que pode viver em associação assintomática ou sintomática. Nesta última, ele age como um endófito, um microrganismo que vive no interior da planta hospedeira sem causar nenhum dano, sendo benéfico ao hospedeiro. Este estudo teve por objetivo analisar o comportamento morfológico de uma linhagem de F. verticillioides selvagem e transformante e comparar o crescimento micelial e a produção de conídios, antes e após a sua inoculação na planta hospedeira. O diâmetro e peso úmido da colônia da linhagem transformante não apresentaram diferenças significativas antes e após a inoculação, sendo ligeiramente maiores para a linhagem selvagem reinoculada. O resultado indicou que fungos endofíticos geneticamente manipulados podem colonizar eficientemente os tecidos hospedeiros, servindo como um vetor alternativo interessante para introdução de genes de interesse. Além disso, a planta hospedeira pode influenciar as características morfológicas dos endófitos espécie-específicos.

 

DEVELOPMENT OF WILD AND TRANSFORMANT STRAIN OF ENDOPHYTIC Fusarium verticillioides AFTER COLONIZATION IN Zea mays L.

ABSTRACT

The fungal genus with the highest occurrence in Brazilian maize crops is Fusarium and the predominant specie is F. verticillioides, which can live in asymptomatic or symptomatic association. In this last one, it acts as an endophyte, a microorganism that live inside of host plant without causing any damage and being beneficial. This study analyzed the morphological behavior of a wild and a transfomant endophytic strain of F. verticillioides and compared the mycelial growth and conidial production before and after their inoculation in host plant. As result, it was observed a systemic colonization in leaves and roots. The conidial production of wild strain was larger before inoculation, while it was larger after inoculation of transformant strain. The colony diameter/wet weight of transformant strain before and after inoculation do not showed large differences, being slightly larger in reinoculated wild strain. This study indicated that a genetically manipulated endophyte can colonize efficiently the host tissues, serving as an alternative vector to introduce interesting genes. Also, the endogenous host environment could influence the morphological characteristics of specie-specific endophytes.


Palavras-chave


endófitos; colonização; desenvolvimento; milho.

Texto completo:

PDF


   

 

 

 

Licença Creative Commons
SaBios-Revista de Saúde e Biologia está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.