DISTRIBUIÇÃO ESPACIAL E ASSOCIAÇÃO DA MORTALIDADE INFANTIL E DO BAIXO PESO AO NASCER COM FATORES SOCIOECONÔMICOS E DE SERVIÇOS DE SAÚDE NA REGIÃO SUL DO BRASILalign="justify">

Antônio Fernando Boing, Fernando Kel, Alexandra Crispim Boing

Resumo


Este estudo tem como objetivo realizar a distribuição espacial das taxas de mortalidade infantil e da proporção de nascidos vivos com baixo peso ao nascer na região sul do Brasil e testar a associação desses indicadores com fatores socioeconômicos e de serviços de saúde. Trata-se de um estudo ecológico realizado a partir de dados dos 1.159 municípios que compunham a região sul do Brasil no ano 2000. As variáveis independentes foram o Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM), a taxa de analfabetismo, o coeficiente de Gini, a proporção de pobres e de pessoas em domicílios com água encanada e banheiro, a média anual de consultas médicas em especialidades básicas, a média mensal de visitas domiciliares por família e o número de consultórios médicos por 10.000hab. Foram utilizados os testes de Kolmogorov-Smirnov, ANOVA e Kruskall-Wallis e calculado o coeficiente de correlação de Spearman. Foi identificada associação estatisticamente significante entre a mortalidade infantil e todos os indicadores socioeconômicos. Quanto à proporção de baixo peso ao nascer foi identificada associação com a proporção de pessoas em domicílios com água encanada e banheiro, média anual de consultas médicas em especialidade básicas, coeficiente de Gini, proporção de pobres e média mensal de visitas domiciliares por família. A distribuição espacial dos agravos investigados permitiu a identificação de regiões com piores indicadores investigados e que necessitam de maior investimento e atenção governamental. As políticas públicas na área de saúde infantil devem considerar a necessidade de melhoria das condições socioeconômicas e de acesso aos serviços de saúde a fim de reduzir as desigualdades em saúde e a magnitude dos agravos.

SPACIAL DISTRIBUTION AND ASSOCIATION BETWEEN INFANT MORTALITY AND LOW BIRTH WEIGHT WITH SOCIOECONOMIC FACTORS AND HEALTH SERVICES IN THE SOUTHERN REGION OF BRAZIL.

Abstract
This research aimed to realize the spacial distribution of the infant mortality rates and of the proportion of low weight newborns in the southern area of Brazil and to test the association of those indicators with socioeconomic factors and health services.  It is an ecological study put together from data collected from the 1,159 municipalities comprising the southern area of Brazil in the year 2000.  The independent variables were the Municipal Human Development Rate, the illiteracy rate, the Gini coefficient, the proportion of poor people and people in homes with indoor plumbing and bathrooms, the annual average of medical visits for basic medical specialties, the monthly average of home visits per family and the number of medical clinics per 10,000 inhabitants. Kolmogorov-Smirnov, ANOVA and Kruskall-Wallis tests were performed and the Spearman coefficient of correlation was calculated.  A significant statistical association was established between infant mortality and all the socioeconomic indicators.  As for the proportion of low birth weight, it was associated with the proportion of people in homes with indoor plumbing and bathrooms, the annual average of medical visits for basic medical specialties, the Gini coefficient, poverty levels and monthly average of home visits per family.  The spacial distribution of the diseases investigated allowed the identification of areas with the worst indicators investigated and which need greater government investment and attention.  The public policies in infant health care should consider the need to improve the socioeconomic conditions and accessible health services in order to reduce the inequalities in health and the magnitude of the disease.

Palavras-chave


mortalidade infantil; coeficiente de mortalidade, serviço de saúde, fatores socioeconômicos, indicadores de saúde

Texto completo:

PDF


   

 

 

 

Licença Creative Commons
SaBios-Revista de Saúde e Biologia está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.