QUALIDADE MICROBIOLÓGICA DA ÁGUA CONSUMIDA POR CRIANÇAS DE PRÉ-ESCOLAS DO MUNICÍPIO DE RIO LARGO – ALAGOAS

Genildo Cavalcante Ferreira Júnior, José Alfredo dos Santos Júnior, Ana Cristina Quixabeira Rosa e Silva, Flávia Moura da Silva

Resumo


A água é essencial à vida, sendo amplamente consumida pelo homem e animais, mas pode ser veículo de disseminação de inúmeros patógenos. A Portaria n° 2914/2011 do Ministério da Saúde estabelece os padrões de potabilidade da água que deve ser garantido pelo órgão distribuidor. Este estudo teve por objetivo avaliar a qualidade microbiológica da água de 12 pré-escolas (6 públicas e 6 privadas) no município de Rio Largo – AL. As análises de coliformes totais e fecais (termotolerantes) foram realizadas por tubos múltiplos, conforme a American Public Health Association (APHA). Foram verificados coliformes totais nas amostras de 7 (58,3%) pré-escolas (4 públicas e 3 privadas) e nenhuma amostra com coliformes fecais. A presença de coliformes totais nas amostras de água das pré-escolas avaliadas é preocupante, uma vez que essas instituições atendem exclusivamente ao público infantil, que é a faixa etária mais vulnerável às doenças transmitidas pelos alimentos. Portanto, constatou-se que menos da metade das pré-escolas de Rio Largo, oferecem água em condições higiênico-sanitárias satisfatórias para as crianças.

ABSTRACT

Water is essential to life and is widely consumed by humans and animals, but can also be a vehicle for the dissemination of numerous pathogens. The resolution n. 2914/2011 of the Ministry of Health establishes the standards of portability of water that must be guaranteed by the distributor company. This study evaluated the microbiological quality of water from 12 preschools (6 public and 6 private) in Rio Largo - AL. The analysis of total and fecal coliform (thermotolerant) were performed by multiple tube, according to the American Public Health Association (APHA). Total coliforms were found in samples of 7 (58%) pre-schools (4 public and 3 private) and no samples presented fecal coliforms. The presence of total coliforms in water samples of evaluated preschools is worrying, since these institutions cater exclusively children, which is the age group most vulnerable to foodborne diseases. Therefore, it was found that less than half of Rio Largo preschools offer water to children in satisfactory sanitary conditions.


Palavras-chave


pré-escolares; coliformes totais; coliformes fecais.

Texto completo:

PDF

Referências


FRANCO, M.R.B.; ROCHA-EBEHARDT, D.; NETO, R.C. Occurrence of Crystosporidium Oocysts and Giardia Cysts in raw Water from Atibaia River, Campinas, Brazil. Revista Instituto Medicina Tropical de São Paulo, São Paulo, v.43, n. 2, p. 109-111, Mar./Apr. 2001.

COELHO, D.A.; SILVA, P.M.F.; VEIGA, S.M.O.M.; FIORINI, J.E. Avaliação da qualidade microbiológica de águas minerais comercializadas da cidade de Alfena, MG. Revista Higiene Alimentos, São Paulo, v. 21, n. 151, p 88-92, maio 2007.

NASCIMENTO, D.C.; RIBAS-SILVA, R.C.; PAVANELLI, M.F. Pesquisa de coliformes em água consumida em bebedouros de escolas estaduais de Campo Mourão, Paraná. SaBios: Revista de Saúde e Biologia, Campos Mourão, v. 8, n. 1 p 21-26, jan/abr. 2013.

WORLD HEALTH ORGANIZATION (WHO). Foodborne disease outbreaks: Guidelines for investigation and control. Section 5 Control measures. Genebra 2008, p.22.

BRASIL. Banco de Dados do Sistema Único de Saúde (DATASUS), 2010. Disponível em: Acesso em: 10 abr. 2015

OKURA, M.H.; SIQUEIRA, K.B. Enumeração de coliformes totais e coliformes termotolerantes em águas de abastecimento e de minas. Revista Higiene Alimentos, São Paulo, v. 19, n.135, p. 86-91, set. 2005.

BRASIL. Portaria n. 2914 de 12 de dezembro de 2011. Norma de qualidade da água para consumo humano. Diário Oficial da União nº3 de 4 de janeiro de 2012.

TEIXEIRA, J.C. Vigilância da qualidade da água para consumo humano: utopia ou realidade? Estudo de caso: Juiz de fora MG. In: 23º Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental. Anais: 23º Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental. Rio de Janeiro, 2005, p. 14.

BUENO, L.F.; GALBIATTI, J.A.; BORGES, M.J. Monitoramento de variáveis de qualidade da água do Horto Ouro Verde - Conchal- SP. Revista Engenharia Agrícola, Jaboticabal, v.25, n.3, p.742-748, set./dez. 2005.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Atlas de Saneamento: Saneamento e Meio Ambiente. Brasil: IBGE, 2000. 132p.

MÜLLER, L.R.; PARUSSOLO, L. Qualidade microbiológica da água utilizada para consumo em escolas municipais de Mamborê, Paraná. SaBios: Revista de Saúde e Biologia, Campos Mourão, v.9, n.1, p.95-99, jan./abr. 2014.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Estimativa da população residente em Rio Largo – AL, em 1° de julho de 2014. Disponível em:

< http://www.cidades.ibge.gov.br/xtras/perfil.php?lang=&codmun=2707701>. Acesso em: 30 maio 2015.

VANDERZANT, C.; SPLITTSTOESSER, D. F. Compendium of methods for the microbiological examination of foods. 3. ed. Washington: American Public Health Association, 1992.1219 p. In: SILVA, N. SILVA, N.; JUNQUEIRA, V.C.A. Manual de métodos de análise microbiológica de alimentos. 2. ed. São Paulo: Livraria Varela, 2001, p. 32-36.

ANTUNES, A.C.; CASTRO, M.C.F.M.; GUARDA, V.L.M. Influência da qualidade da água destinada ao consumo humano no estado nutricional de crianças com idades entre 3 e 6 anos, no município de Ouro Preto – MG. Alimentos e Nutrição. Araraquara, v. 15, n. 3, p. 221-226, 2004.

DANTAS, A.K.D.; SOUZA, C.; FERREIRA, M.S.; ANDRADE, M.A.; WATANABE, E. Qualidade Microbiológica da água de bebedouro destinada ao consumo humano. Revista Biociências, Taubaté. v. 16, n. 2, p. 132-138, 2010.

OLIVEIRA, A.C.S.; TERRA, A.P.S. Avaliação Microbiológica das águas dos bebedouros do Campus I da Faculdade de Medicina do Triangulo Mineiro, em relação a presença de coliformes totais e fecais. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical, Uberaba, v. 37, p. 285-286, mai./jun. 2004.

FARIA, T.; PAULA, R.A.O.; VEIGA, S.M.O.M. Qualidade microbiológica da água para consumo humano em unidades de alimentação escolar. Revista da Universidade Vale do Rio Verde, Três Corações, v. 11, n. 1, p. 135-144, jan./jul. 2013.




   

 

 

 

Licença Creative Commons
SaBios-Revista de Saúde e Biologia está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.