AVALIAÇÃO FARMACOTERÁPICA EM PACIENTES DE UMA INSTITUIÇÃO GERIÁTRICA DA REGIÃO CENTRO - OCIDENTAL DO PARANÁ, BRASIL

Luciana Conci Macedo, Camila Rodrigues, Leandro Marques Correa

Resumo


O aumento crescente da população idosa fez com que a atenção à saúde seja desenvolvida para suprir a necessidade de novos recursos entre eles à assistência farmacêutica. A polifarmácia entre idosos é uma prática cada vez mais comum do mundo atual. Assim o objetivo desse trabalho foi de avaliar o perfil farmacoterapêutico e a prevalência da polifarmácia nos idosos acometidos no Lar dos Velhinhos Frederico Ozanan de Campo Mourão - Paraná. Os dados foram coletados a partir dos prontuários médicos de 61 idosos identificando a prevalência de múltiplos medicamentos e as condições sócio clínicas. A prevalência da polifarmácia foi de 67,18%, sendo 28,14% leve, 34,14% moderado e 4,9% grave. A média de medicamentos consumidos foi igual a 2,7 e dentre os medicamentos mais utilizados entre os pacientes foi encontrado o ácido acetilsalicílico com 22% do total pesquisado e em seguida o cloridrato de biperideno com 18%. Os fármacos mais utilizados de acordo com o grupamento anatômico segundo a classificação da ATC foram os que atuam no sistema nervoso central (41,7%) e aparelho cardiovascular (31,7%). Com este estudo pôde-se definir um perfil farmacoterapêutico dos idosos, proporcionando informações que podem auxiliar no uso adequado de medicamentos, permitindo o delineamento de estratégias direcionadas ao cuidador, garantindo uma melhor qualidade de vida aos pacientes.

 

PHARMACOTHERAPY ASSESSMENT IN PATIENTS FROM A GERIATRIC INSTITUTION IN SOUTHWEST OF PARANA, BRAZIL

 

ABSTRACT

The increase of elderly population makes health care to be developed to meet the need of new resources including the pharmaceutical care. Polypharmacy in elderly is an increasingly common practice in the world nowadays. Thus, the aim of this study was to evaluate the pharmacotherapeutic profile and prevalence of polypharmacy in elderly patients of “Lar dos Velhinhos Frederico Ozanan” in Campo Mourão - Parana. Data were collected from medical records of 61 elderly individuals which were identified the prevalence of multi-drugs and clinical social conditions. The overall prevalence of polypharmacy was 67.18%, which 28.14% was considered mild, 34.14% moderate and 4.9% severe. The average number of medications consumed was 2.7, and among the most used drugs found between patients was acetylsalicylic acid with 22% of the total and biperiden hydrochloride with 18%. The most used drugs in accordance with the anatomical grouping according to the ATC classification were those that act on central nervous system (41.7%) and cardiovascular system (31.7%). With this study it was possible to define a therapeutic profile of elderly, providing information that can assist in the appropriate use of medication, allowing designing strategies directed to caregivers, ensuring a better life quality for these patients.


Palavras-chave


Polifarmácia; idoso; atenção à saúde.

Texto completo:

PDF

Referências


BGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Brasília: Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, fev. 2004. Projeção da população. Disponível em:/http://www.ibge.gov.br>. Acesso em: 27 mai. 2014.

(2) VERAS, R. Em busca de uma assistência adequada à saúde do idoso: revisão da literatura e aplicação de um instrumento de detecção precoce e de previsibilidade de agravos. Cad. Saúde Pública. v. 3, p. 705-715, jan. 2003.

(3) BRASIL. Portaria nº. 810 (1989). Aprova as normas e padrões para o funcionamento de casas de repouso, clínicas geriátricas e outras instituições destinadas ao atendimento de idosos. Diário Oficial da União. Brasília, p. 22, ago. 1989.

(4) ROCHA, J.P.; KLEIN, O.J.; PASQUALOTTI, A. Qualidade de vida, depressão e cognição a partir da educação gerontológica mediada por uma rádio-poste em instituições de longa permanência para idosos. Rev. Bras. Geriatr. Gerontol. v. 17, p. 128-128, Jan-Mar. 2014.

(5) BURTON, D.G.; ALLEN, J.L. Bird & R.G. Farragher. J. Pharm. Pharmacol. v. 57, p. 671-679, fev. 2005.

(6) VEEHOF, L.; STEWART, R.; HAAIJER-RUSKAMP, F.; et al. The development of polypharmacy: a longitudinal study. Farm Pract. v. 17, p. 261-267, out. 2000.

(7) ALMEIDA, O.P.; RATTO, L.; GARRIDO, R.; et al. Fatores preditores e consequências clínicas do uso de múltiplas medicações entres idosos atendidos em um serviço ambulatorial de saúde mental. Revista Bras. Psiquiatria. v. 2, p. 152-157, set. 1999.

(8) ROZENFELD, S. Fatores associados e mal uso de medicamentos entre idosos. Caderno saúde Pública, v.7, p. 12-18, ago. 2003.

(9) ANVISA, Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Lista de medicamentos de referência. Disponível em: http://www.anvisa.gov.br/medicamentos/referencia/lista.pdf. Acesso em: 10 jan. 2011.

(10) WHO – WORLD HEALTH ORGANIZATION. Guidelines for ATC classification and DDD assignment. Oslo: WHO; Center for Drug Statistics Methodology. p.178, abr. 1996.

(11) CAMPANELLI, C.M. American Geriatrics Society Updated Beers Criteria for Potentially Inappropriate Medication Use in Older Adults: The American Geriatrics Society 2012 Beers Criteria Update Expert Panel. J Am Geriatr Soc. v. 60, p. 616-631, Apr. 2012.

(12) WHO – WORLD HEALTH ORGANIZATIONS. Model formulary. Oslo: WHO; Center for Drug Methodology. p. 129, out. 2004.

(13) CORRER, C.J.; PONTAROLO, R.; FERREIRA, L.C.; et al. Riscos de problemas relacionados com medicamentos em pacientes de uma instituição geriátrica. Revista Brasileira de Ciências Farmacêuticas. v. 43, p. 1, dez. 2007.

(14) WACHHOLZ, P.A.; RODRIGUES, S.C.; YAMANE, R. Estado nutricional e a qualidade de vida em homens idosos vivendo em instituição de longa permanência em Curitiba, PR. Rev. Bras. Geriatr. Gerontol. v.14, n.4, p. 625-635, 2011.

(15) PEIXOTO, J.S.; SALCI, M.A.; RADOVANOVIC, C.A.T.; et al. Riscos da interação droga-nutriente em idosos de instituição de longa permanência. Rev. Gaúcha Enferm. v.33, n.3, p. 156-164, 2012.

(16) TERASSI, M.; RISSARDO, L.K.; PEIXOTO, J.S.; et al. Prevalência do uso de medicamentos em idosos institucionalizados: um estudo descritivo. Online Braz. J. Nurs. v.11, p.26-39, 2012.

(17) AGUIAR, M.P.; LYRA JUNIOR, D.P.; SILVA, D.T.; et al. Avaliação da Farmacoterapia de Idosos Residentes em Instituições Asilares no Nordeste do Brasil. Lat. Am. J. Pharmacy. v. 27, p. 454-459, fev. 2007.

(18) LOYOLA, F.A.; UCHOA E.L. Estudo epidemiológico de base populacional sobre uso de medicamento entre idosos da região metropolitana de Belo Horizonte, Minas Gerais. Cad. Saúde Pública. v. 22, p. 2657-67, abr. 2006.

(19) FLORES, L.M.; MENGUE, S.S. Uso de medicamentos por idosos na região sul do Brasil. Cad. Saúde Pública. v. 39, p. 924-29, fev. 2005.

(20) PEREIRA, M.G. Epidemiologia: teoria e prática. 4ª ed., Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2000.

(21) KUSANO, L.T. Prevalência da polifarmácia em idosos com demência. 2009. 111f. Dissertação (Mestrado em Ciências Médicas) – Universidade de Brasília, Brasília.

(22) GALATO, D.; SILVA, E.S.D.; TIBURCIO, L.D.S. Estudo de utilização de medicamentos em idosos residentes em uma cidade do sul de Santa Catarina (Brasil): um olhar sobre a polimedicação. Ciência saúde coletiva. v.15, p.2899-2905, 2010.

(23) STELLA, F. D.; CAETANO, J.L.; PACHECO, E.V.G. Am. J. Geriatri. Cardiol. Sé & A.L.T. Lacerda. São Paulo Med. J. v. 124, p. 253-56, nov. 2006.

(24) DENNIS, K.; YONGFEI, W.; ALAN, B. Nonsteroidal antiiflamatory drugs after acute myocardial infarction. Rev. Bras. Hipertens. v. 9 p. 475-481, fev. 2002.

(25) CHAHADE, W.H.; GIORGI, R.D.; SZAJUBOK, J.C. Antiinflamatorios não hormonais. Disponível em: http://apps.einstein.br/REVISTA/arquivos/PDF/918Einstein%20Suplemento%20v6n1%20pS166-174.pdf. Revista online. Acesso em: 18 jan. 2011.

(26) RIGO, J.C.; RIGO, J.F.O.; FARIA, B.C.; et al. Demência reversível e quedas associadas ao biperideno. Rev. de psiquiatria Clínica. v. 33, p. 1, São Paulo, out. 2006.

(27) CASTELLAR, J.I.; KARNIKOWSKI, M.G.; VIANNA, L.G. Estudo da farmacoterapia prescrita a idosos. Acta. Med. Port. v. 20, p. 97-105, set. 2007.

(28) HEPLER, C.D. Hacia uma mejora sistemática Del uso de medicamentos en El ejercicio comunitário. Uma nueva perpectiva em atención farmacétucia. Pharm. Esp. v. 1, p. 428-457, jul. 1999.




   

 

 

 

Licença Creative Commons
SaBios-Revista de Saúde e Biologia está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.