EPIDEMIOLOGIA E DISTRIBUIÇÃO ESPACIAL DE ACIDENTES POR ABELHAS NO ESTADO DO CEARÁ, 2003 A 2011

Gislane dos Santos Sousa, José Everton Alves, Francisco Rosemiro Guimaraes Ximenes Neto, Petronio Emanuel Timbó Braga

Resumo


A grande diversidade entomológica é perceptível, classificada e reconhecida pelo interesse humano, principalmente da ordem Hymenoptera, em especial, as abelhas, pois são insetos sociais e contribuem para valor econômico e ajudam a manter a flora do planeta. O presente trabalho, de cunho descritivo, objetivou traçar o perfil epidemiológico e a distribuição espacial dos acidentes causados por abelhas, no período de 2003 a 2011 no Estado do Ceará. O método usado foi o de compilar os dados do SINAN, Sistema de Informação de Agravos de Notificação/Ministério da Saúde, em todos os municípios do Estado do Ceará. Os resultados evidenciaram que o ano de 2011 foi o de maior número com casos de notificações (n=274 acidentes) e o ano de 2003 com o menor número de notificações (n= 45). Observou-se, ainda, que os casos notificados ocorrem predominantemente, no município de Fortaleza, representando 21% dos casos ocorrentes em todo Estado, embora, tenham sido notificadas ocorrências em 42,32% dos municípios cearenses (n=80) com a predominância, dos acidentados serem do sexo masculino, pertenceram à raça parda, e estarem na faixa etária d e 20 a 39 anos. Apesar da maioria dos casos ter sido considerada como leve, ocorrendo cura, registrou-se 4 casos por óbitos no período estudado. Conclui-se que devem ser criadas políticas públicas que adotem medidas preventivas aos acidentes por abelhas.

ABSTRACT

The great entomological diversity is perceived, recognized and classified by the human interest, mainly in Hymenoptera order, especially bees, because they are social insects and contribute to economic value and help keep the planet’s flora.  This descriptive study aimed to outline the epidemiological profile and the spatial distribution of accidents caused by bees from 2003 to 2011 in Ceará. The method was based on compiling data of SINAN Information System for Notifiable Diseases / Ministry of Health, of all municipalities of Ceará, Brazil. Results show that 2011 evidences the largest number of notifications (n=274 accidents) and 2003 appears with the lowest number of notifications (n=45). Furthermore, reported cases occurred predominantly in Fortaleza (21% of cases occurred in whole state), although notifications were recorded in 42,82% of municipalities in Ceará (n=80) with a predominance of male and age from 20 to 39 years. Most cases were considered mild and healed. However, there are reports of four cases of death during the study period. Thus, it is possible to conclude that public policies should be created to prevent accidents with bees.


Palavras-chave


mordidas e picadas de insetos; hymenoptera; apicultura.

Texto completo:

PDF

Referências


(1) BRASIL. Ministério da Saúde. Acidentes por Abelhas. 2013. Disponível em: . Acesso em: 12 dez. 2012.

(2) SANTOS, A. B.; MEDEIROS, A. M. da C. R. dos S.; MARTINS, R. D.; SILVA, N. A. Estudo epidemiológico de acidentes por animais peçonhentos ocorridos no Estado de Pernambuco. In: XVIII Encontro de Zoologia do Nordeste: Do Oceano ao Sertão. Maceió: Universidade Federal de Alagoas, Sociedade Nordestina de Zoologia. 2013. p.564.

(3) CARDOSO, J. L. C. et al.Animais peçonhentos no Brasil - biologia, clínica e terapêutica dos acidentes. São Paulo: Sarvier, 2003. 468p.

(4) LANGLEY, R. L.; MORROW, W. E.Deaths resulting from animal attacks in the United States. Wilderness & Environmental Medicine, v.8, n.1, p.8-16, 1997.

(5) LANGLEY, R. L. Animal-related fatalities in the United Statesan update. Wilderness & Environmental Medicine, v.16, n.2, p.67-74, 2005.

(6) SCHIMIDT, J. O.; HASSEN, L. V. B. When africanized bees attack: what your clients should know.Veterinary Medicine, v.10, p.923-928, 1996.

(7) MEJÍA-VÉLEZ, G.. Acute renal failure due to multiple stings by Africanized bees. Report on 43 cases. Nefrologia (Medelin-Colombia). v. 30, n. 5, p. 531-538. 2010.

(8) ROAT T. C.; PINTO, J. R. A. S.; SANTOS, L. D.; SANTOS, K. S.; Palma, M. S.; MALASPINA, O.. Modification of the brain proteome of Africanized honeybees (Apis mellifera) exposed to a sub-lethal doses of the insecticide Fipronil. Ecotoxicology (London), v. 1, p. 1, 2014.

(9) SANTOS, K. S.; STEPHANO, M. A.; MARCELINO, J. R.; FERREIRA, V. M. R.; ROCHA, T.; CARICATI, C.; HIGASHI, H. G.; MORO, A. M.; KALIL, J. E.; MALASPINA, O.; CASTRO, F. F. M.; PALMA, M. S.. Production of the First Effective Hyperimmune Equine Serum Antivenom against Africanized Bees. Plos One, v. 8, p. N. 11, e79971, 2013.

(10) BERGAMO, F. M. M; De BIASI, F.; SAKATE, M. Ataque de Abelhas Africanizadas: O que fazer? Revista Cães & Gatos. n. 88, Jan/Fev. p. 16-21, 2000.

(11) FERREIRA RESENDE, V. M.; VASILJ, A.; SANTOS, K. S.; PALMA, M. S.; SHEVCHENKO, A. . Proteome and phosphoproteome of Africanized and European honeybee venoms. Proteomics (Weinheim. Print), v. 13, p. 2638-2648, 2013.

(12) CORREIA-OLIVIEIRA, M. E.; NUNES, L. A.; SILVEIRA, T. A. da; MACRCHINI, L. C.; SILVA, J. W. P. da. Manejo da agressividade de abelhas africanizadas. Série Produtor Rural - nº 53. Piracicaba: ESALQ, 2013. 38p.

(13) MOUGA, Diversidade de abelhas (Hymenoptera: Apidae) em área de mata atlântica em Joinville, Santa Catarina. Acta Biológica Catarinense. Jul-Dez, 1 (2), p. 15-27. 2014

(14) ZANELLA, F. C. V.; MARTINS, C. F. Abelhas da Caatinga: Biogeografia, ecologia e conservação. 2003. Disponível em: . Acesso em: 15 mar. 2012.

(15) FIGHERA, R. A.; SOUZA, T. M.; BARROS, C. S. L. Acidente provocado por picada de abelhas como causa de morte de cães. Ciência Rural, Santa Maria, v.37, n.2, p.590-593, 2007.

(16) OLIVEIRA, J. S.; CAMPOS, J. A.; COSTA, D. M.. Acidentes por animais peçonhentos na infância. Jornal de Pediatria, Porto Alegre, v. 75, n. 2, p. 251- 258, 1999.

(17) FREITAS, D. G. F.; KHAN, A. S.; SILVA, L. M. R. Nível técnico e rentabilidade de produção de mel de abelha (Apis mellifera) no Ceará. Revista de Economia e Sociologia Rural, Brasília, v. 42, n.1, 2004.

(18) BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Sistema Nacional de Vigilância em Saúde. Relatório de situação: Ceará / Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde. 5. ed., Brasília: Ministério da Saúde, 2011. 36p.

(19) BRASIL. O que é o SINAN. Disponível em: Acesso em: 10 mai. 2012.

(20) BRASIL. Acidente por animais peçonhentos - Notificações registradas no Sistema de Informação de Agravos de Notificação - Sinan Net. Disponível em: . Acesso em: 10 mai. 2012.

(21) FONSECA, Z. A. A. de S.; RODRIGUES, M. N., SOUSA, E. S.; MOURA, E. S. R., BEZERRA, A. C. D. S. Levantamento epidemiológico dos acidentes por animais peçonhentos no semi-árido do Rio Grande do Norte, Brasil: 2000 a 2008. Acta Veterinaria Brasilica, v.3, n.3, p.127-131, 2009.

(22) FREITAS, B. M.; SOUSA, R. M.; BOMFIM, I. G. A.. Absconding and migratory behaviors of feral Africanized honey bee (Apis mellifera L.) colonies in NE Brazil. Acta Scientiarum. Biological Sciences, v. 29, p. 381-385, 2007.

(23) OLIVEIRA, F. A.; GUIMARÃES, J. V.; REIS, M. A.; TEIXEIRA, V. P. A. Acidente Humano por Picadas de Abelhas Africanizadas. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical, v. 33, n. 4, p. 403-405, 2000.

(24) BRASIL. Fundação Nacional de Saúde. Manual de diagnóstico e tratamento de acidentes por animais peçonhentos. 2ª ed., Brasília, 2001. 120p.




   

 

 

 

Licença Creative Commons
SaBios-Revista de Saúde e Biologia está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.