EPIDEMIOLOGIA DA COLONIZAÇÃO DE LEVEDURAS CANDIDA DA CAVIDADE BUCAL EM PACIENTES DIABÉTICOS

Volmir Pitt Benedetti, Gheniffer Fornari, Patricia Fernanda Herkert, Daiany Darlly Bello Redivo, Chirlei Glienke

Resumo


 RESUMO

As micoses podem ser causadas por fungos patogênicos ou fungos oportunistas. Entre os agentes oportunistas mais frequentes envolvidos em infecções da mucosa bucal, destacam-se as leveduras do gênero Candida. Este trabalho teve como objetivo realizar um estudo epidemiológico de leveduras do gênero Candida isolados da cavidade bucal de pacientes diabéticos, através da determinação das espécies mais frequentes e do número de unidades formadoras de colônias. Foram analisadas leveduras isoladas a partir de 50 amostras de saliva, sendo 25 do grupo controle e 25 de um grupo de diabéticos. Em seguida, as amostras foram semeadas em CHROMagar Candida® por 48 horas a 36ºC e posteriormente fez-se a identificação das espécies e a quantificação das colônias. As análises mostraram que entre os diabéticos a espécie mais frequente foi a C. albicans (48,4%), seguida da C. tropicalis (22,6%). Entre os pacientes do grupo controle a mais frequente foi a C. tropicalis (68%). Em relação à quantificação, entre os pacientes diabéticos a média de unidade formadora de colônia foi de 1380 UFC/mL, porém entre o grupo controle este índice foi de 519,6 UFC/mL. A interpretação dos resultados sugere um maior número de unidade formadora de colônias no grupo dos diabéticos e que houve distinção no predomínio de espécies entre os grupos.

EPIDEMIOLOGY OF ORAL CAVITY COLONIZATION BY YEAST CANDIDA IN DIABETIC PATIENTS

ABSTRACT

Fungal infections may be caused by pathogenic fungi or opportunistic fungi. Among the opportunistic agents involved in infection of oral mucosa are Candida sp. This research aimed to perform an epidemiological study of Candida species isolated from oral cavity of diabetic patients by determining the most frequent species and the number of colony-forming units. Yeasts were isolated from 50 samples of saliva, 25 of control group and 25 of a diabetic group. Samples were plated on CHROMagar Candida® and incubated for 48 hours at 36ºC. Subsequently, species were identified and colonies were quantified. Results show that C. albicans was the most frequent specie among diabetics (48.4%), followed by C. tropicalis (22.6%). In patients of control group, C. tropicalis was the most frequent (68%). Regarding to quantification, in diabetic group the average of colony-forming unit was 1380 CFU/mL, while in control group this index was 519.6 CFU/mL. Thus, results show a greater number of colony-forming units in diabetic group, and no difference in predominance of species between the two groups.


Palavras-chave


Candida sp; diabéticos; candidíase bucal.

Texto completo:

PDF


   

 

 

 

Licença Creative Commons
SaBios-Revista de Saúde e Biologia está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.